I LO  V THE MICROPHONE

E

O trabalho foi desenvolvido em residência artística no projeto PUENTES, na Oficina Cultural Oswald de Andrade, com apresentações em São Paulo e Buenos Aires. com apoio da Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo e do Fondo Nacional De Las Artes da Argentina. 

Durante o processo de criação foram explorados aspectos da relação entre música e dança no que concerne à alguns de seus elementos conceituais de composição. A ideia de "corpos sonros" sugeriu possibilidades de pensar movimento e propagação a partir de qualidades vibracionais de alguns materiais. A escuta tomou também lugar da visão estabelecendo uma comunicabilidade especial na utilização de algumas tecnologias de captação de áudio. Microfones eletrolíticos e captadores eletromagnéticos, foram adaptados para reagir à estímulos invisíveis.  [...]   

 

             

     

Agradecimentos à de Bobby Baq, Juliana Perdigão, Pablo Burset, Valeria Primost, Jaque Vasconcellos, Calso Cury e Camila Loreta